Onde está o dinheiro para inovação?

Fundador da Spinafre Rodolfo Ribeiro media painel com grandes nomes da inovação brasileira.

No dia 6 de outubro de 2017 aconteceu, em São Paulo, mais uma edição do Rethink Business.
O evento, idealizado pela Marina Miranda (consultora pioneira de crowdsourcing no Brasil), tem como objetivo trazer debates e reflexões sobre o futuro.

Num dos painéis do evento, denominado “Onde está o dinheiro para inovação?” o partner da Spinafre Rodolfo Ribeiro foi o curador da discussão realizada por nomes de peso da inovação brasileira nos últimos anos. Cassio Spina (Altivia Ventures), Pedro Waengertner (ACE), Renata Guinther (FINEP) e Rodrigo Rodrigues (ABDI) trouxeram suas visões sobre o tema.

Em linhas gerais, todos abordaram exemplos de ações que envolvem startups, uma vez que este tipo de iniciativa empreendedora tem sido alvo das estratégias de inovação de grandes empresas.

Cassio reforçou em sua fala que há diferença entre Corporate Venture e Marketing nas grandes empresas. Apesar de parecer óbvio, muitas grandes empresas não possuem clareza que alguns tipos de ações com o ecossistema empreendedor (como hackathons, competições, espaços de co-working, etc.) que não possuam relação direta com a estratégia de inovação corporativa de fato apenas aproximam uma marca do lado cool das startups.

Pedro trouxe uma perspectiva de que as grandes empresas deveriam se abrir mais para ouvir e empoderar seus intraempreendedores, que são os funcionários que possuem o comportamento empreendedor aflorado e um grande desejo transformador, contudo muitas vezes são tolhidos de fazer algo diferente em suas organizações (vide o caso deste que vos escreve).

Rodrigo compartilhou algumas informações muito interessantes sobre os motivadores e os caminhos trilhados até o momento pela primeira edição do Conexão Startup-Indústria, programa criado pela ABDI no ano passado e que apoia a aplicação de soluções inovadoras para demandas da indústria por meio de startups.

Renata apresentou os números da participação da FINEP em ações de venture capital no Brasil, incluindo a iniciativa mais recente de investimentos chamada FINEP Startup. Também trouxe informações sobre os editais Inova, que foram criados a partir de 2014, com o objetivo de fomentar inovações em setores estratégicos da economia para o Brasil, como automotivo, telecomunicações, agroindústria, dentre outros.

Por fim, cada um dos painelistas trouxe sua visão para os próximos anos no que tange os recursos para inovação. Em geral, há grande expectativa para que as entidades de fomento lancem novos editais em 2018, sendo que muitos deles reforçarão a relação das grandes empresas com startups. Temas como internet das coisas, cidades inteligentes e tecnologias para indústria e agronegócios ganharão destaque e certamente terão editais que fomentem a pesquisa, desenvolvimento e introdução no mercado de novas soluções.

Fique de olho no site e nas redes sociais da Spinafre. Sempre que um novo edital for aberto, faremos posts comentados para expandir o conhecimento sobre estes nobres recursos que estimulam o desenvolvimento de inovações em nosso país.